cozinha de pensamentos

::.. Escrever é um ócio trabalhoso ..:: -- Goethe

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Yep.

What is it about pessimists that optimists complain so much about? Shouldn´t it be the other way around?!?

Yeah, this got me thinking. With all due respect to my beloved optimistic friends, WHAT THE HELL IS WRONG WITH YOU PEOPLE? Can´t you just be happy about everything and let my troubles and questions to myself? It´s ME who should be unconfortable or worried. But then they just won´t let it go until I pour it all on the table and they get bored by it all halfway the explanation.

The fact that having the choice of two evils I´ll pick both should be respected and not made fun of. This is the one thing I can´t forgive optimists: they´re partial. Only their positive observation of things is valid. Maybe it was right there what got me into being a pessimist: enjoying the control of all variables at hand and preparing myself for any outcome. What is to go wrong here?

Well, I´ll tell you right now: people´s expectations being thrown at you. I could tell them to suck it up and leave me alone, but then soon I get annoyed by the silence and quietness of the corner. So I throw myself back in that tide, keep on swimming to the shore and by the time I get there, I´m too tired to enjoy the view.

What can I say? I´m hopeless.

sábado, 27 de junho de 2009

Me

And it´s me who´s too weak
And it´s me who´s too shy
To ask for the thing I love
That I love

Faço das palavras de Paula Cole, minhas. É surpreendentemente estranho identificar-se como fraca para simplesmente PEDIR o que quer.

Nos caminhos da vida, a gente acaba se dobrando em algumas partes. É como que se com um lado do corpo a gente se esticasse pra alcançar uma coisa, e o restante do corpo tivesse que se encolher pra ajudar. Nisso, a gente acaba se perdendo um pouco. A gente se perde nessas dobras que estão perto da superfície, mas se acomodam ali debaixo.

Alcançar aquela prateleira muito alta é tão realizador e satisfatório que cobra seu próprio preço: limitações e bloqueios impostos por si mesma. O exercício da vida é trabalhar estas outras dobras que se juntam, fazer este outro lado trabalhar também.

Me peguei esta semana neste momento inicial, tendo um conflito interno, sentindo uma coceira pós-dormência, vendo uma expectativa que estava prestes à ser adiada. A vontade vinha à boca, mas o medo me freiou - parcialmente. Eu me exercito. E continuarei exercitando. Mais uma vez, Paula Cole ressoa em minha cabeça:


I am walking on the bridge
I am over the water
And I´m scared as hell
But I know there´s something better
Yes I know there´s something
Yes I know, I know, yes I know